Avançar para o conteúdo principal

Etiqueta Social: Algumas regras básicas

Denis Thacher, cumprimenta a Primeira Dama Nancy Reagan,  1988


A minha avó materna diz, do alto dos seus 94 anos, “ a educação nunca passa de moda”, e é  - numa singela homenagem a ela – que apresento algumas regras básicas de etiqueta social.

1-      Apresentações:
Sempre o menos importante se apresenta ou é apresentado para o mais importante, ie, o senhor para a senhora, o mais novo ao mais velho.

Como se determina a importância?
Para determinar a importância, deve-se ter em consideração os seguintes factores:
a)      Idade
b)      Sexo
c)       Posição social
d)      Posição política
e)      Hierarquia
As mulheres não se levantam. São cumprimentadas sentadas. No entanto, é gentil levantar-se para alguém mais velho ou para uma grávida, por isso, se for mulher, é simpático levantar-se para cumprimentar ou uma grávida ou uma senhora mais velha.
Os homens levantam-se sempre, mesmo para cumprimentar outro homem.
As apresentações devem ser sempre efectuadas com o nome e o sobrenome; não entenda isto como snobismo, mas sim como um ponto de referência importante. Claro que se for uma pessoa conhecida, famosa ou homenageada, dispensa-se a apresentação com o nome e sobrenome da mesma.
Não se cumprimenta com contacto físico (beijos, abraços ou apertos de mão) à mesa. Acena-se com a cabeça , e a saudação é geral.
Quando for apresentado (a), jamais diga “muito prazer”; diga, antes, “como vai”, “muito gosto”, “ bom-dia/ boa-tarde, boa-noite”; são expressões mais elegantes.
Saudar com um sorriso SEMPRE! A primeira impressão é a que fica!
Se tiver de óculos escuros quando for falar com alguém, tire-os; mantenha olhos nos olhos enquanto falam.

2 – Cumprimentos:
O antigo costume de beijar a mão de uma senhora, apesar de pouco usado, ainda é válido. O beijo na mão é uma forma de mostrar respeito e admiração, porém, com o distanciamento que esse mesmo respeito requer. É um gesto rápido, iniciado pela senhora que estende a mão ao homem, pois a ela cabe a iniciativa do cumprimento.
Evita-se o toque dos lábios no beijar, porém, sem afastá-los mais que alguns milímetros: imita-se um beijo à altura da articulação dos dedos com o dorso da mão, não à do punho flexionado. Se a mulher se acha em uma recepção formal e usa luvas, ela as retira (pelo menos a da mão direita) para a eventualidade de ser apresentada a um homem, pois este não deve beijar uma mão enluvada. 
Ao cumprimentar ou reunir-se a um grupo onde apenas uma ou duas pessoas são conhecidas suas, lembre-se de saudar a todas as demais.
O ideal é cumprimentar todas.

Homens x Mulheres
Caso uma senhora à mesa se levante ou venha a se sentar, os homens mais próximos devem levantar-se.

O homem deve carregar sacos, abrir portas e esperar as mulheres entrarem em suas casas, carros etc.
O cavalheirismo é um sucesso. Acreditem!
Era costume deixar a mulher sentar-se sempre de costas para a entrada, mas hoje isso não é mais uma regra obrigatória.
É muito mais simpático deixá-la com a melhor visão geral, ou seja, "com vista para o mar".
Ao entrar num restaurante, o homem precede a mulher até o maître, que, após definir a mesa, deve ser seguido pela mulher à frente do homem. Na saída, a mulher precede o homem.

A mulher diz ao homem o que escolheu, e ele faz o pedido ao maître.

O homem entra antes no banco de trás do carro, pois isso evita que a mulher tenha de escorregar ou deslizar pelo banco.

O homem sempre ajuda a mulher a vestir ou tirar o casaco.

O homem sempre anda na rua do lado externo do passeio, e a mulher fica do lado interno do passeio. É um sinal de protecção.
Curiosidade: Os homens desenvolveram esse hábito para evitar que, ao acompanhar as mulheres, cavalos e carruagens, que circulavam naquelas vias sem qualquer infra-estrutura consequentemente no meio da lama e poças d'água, estas respingassem nos seus vestidos. Ao colocar o casaco no chão em dia de chuva para que a mulher atravessasse sobre ele, o homem demonstrava o auge da gentileza. Os tempos mudaram bastante.
 Esse elegante gesto é totalmente dispensável, mas se ocorresse seria inesquecível... e muito!





O homem jamais carrega a mala de uma mulher.

O homem nunca cruza os talheres demonstrando ter terminado a refeição antes que a mulher o faça.
Procure seguir o ritmo da sua acompanhante.

Comentários

  1. Decididamente não se educa mais como antigamente. A vida era bem mais bonita com todos estes qui pro quos não era? Os jovens de hoje deviam todos ler este teu post.
    Bjs
    Pia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimo Anónimo,

      É - indubitavelmete - verdade que se já não educa como antes, como tão judiciosamente refere. Há, contudo - felizmente - alguns resistentes que insistem em preservar as normas de boa convivência e educação.
      É - ainda assim - pena que, entre a maioria das pessoas, estes gestos sejam vistos como algo vetusto e ridículo.

      Quanto a mim, pensem o que quiserem. Não prescindirei da minha edicação em função de absolutamente nada.

      Aproveito para referir que "quid pro quo" é - na realidade - a expressão latina para referir um equívoco, a toca de uma coisa por outra.

      Cordiais cumprimentos.

      Eliminar
  2. É como diz a minha avó, que tem 94 anos: " a educação nunca passa de moda". E tu sabes, tão bem ou melhor do que eu, que felizmente ainda há pessoas que se regem por estar normas de comportamento social (tirando a do colocar o casaco na poça de água, para a mulher passar, claro :) )

    um beijinho, amiga Pia

    ResponderEliminar
  3. Oi, Lúcia querida!
    Que post relaxante de se ler. Maravilhoso e me gerou uma certa nostalgia de tempos idos, que sequer conheci.
    Mas, sinceramente, a educação e a gentileza, acompanhadas de um belo sorriso ofertado ao interlocutor, abrem portas e realçam os sabores das primeira impressões.
    Parabéns pelo texto e por sua utilidade social.
    Beijos de todos nós,
    Adri.

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelo blog Tenho 13 anos e aprendi mais um pouco sobre como o ser um cavaleiro muito bom :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo,
      Gostei muito de saber que o meu blog também interessa jovens da sua faixa etária.

      Eliminar
  5. Olá bom dia,
    Algo que ainda não entendi bem, deve o homem estender primeiro a mão ao cumprimentar uma mulher ou aguardar a decisão dela, obg.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo,

      De forma sucinta, depende do contexto. Assim, temos:

      1) Contexto social: A mulher deverá estender a mão, antes que o faça o homem que lhe foi apresentado.

      2) Contexto profissional: A pessoa de maior estatuto é quem deve estender a mão em primeiro lugar.

      Em ambos os contextos, acompanhe o aperto de mão com um sorriso e olhando nos olhos da outra pessoa.

      Espero ter respondido à sua questão.

      Qualquer outra dúvida que possa ter, ou algum assunto desta temática abrangente de Protocolo e/ou Etiqueta que gostasse de ver abordado no blog, estou a dispor.

      Eliminar
    2. Boa tarde gostaria de perceber melhor a passagem qui diz evite-se o toque dos labios ao beijar.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens Populares

Bandeiras: Parte I

De repente lembrei-me daquele episódio da Bandeira Nacional (Portugal) hasteada ao contrário (que também tem um significado, já lá vamos) e lembrei de publicar o texto que se segue sobre como colocar / hastear bandeiras.
Vamos, então, explicar qual o significado de uma bandeira hasteada ao contrário: significa que o lugar que essa bandeira representa está sendo invadido pelo inimigo e é um pedido de socorro aos seus aliados!
A bandeira é o símbolo representativo de um Estado soberano, ou país; de um município, de uma sociedade, de um clã, de um reino, de uma coroa; existem normas para hastear as bandeiras e há toda uma simbologia inerente às mesmas. Sem grandes delongas, irei tentar dar umas "dicas" práticas sobre como hastear as bandeiras.
No caso de Portugal, a lei que rege essas regras do desfraldar da bandeira é o Decreto-lei n.º 150/87 de 30 /3/1987.
Em Portugal e em território português essa lei estipula que a bandeira portuguesa "quando desfraldada com outras bandeir…

Convites e Envelopes: Nada mais Fácil!

Para os que recebem convites para eventos onde constam siglas que mais lhes parece código entre detectives, aqui fica a "descodificação" dos mesmos. Nada mais fácil. Ora vejam:

1 - Convites com a sigla R.S.F.F. (Responder Se Faz Favor): Devem ser respondidos no espaço de 48 horas; mas para tudo existe uma excepção... se é uma pessoa que recebe muitos convites, não tem de responder no espaço de 48 horas; tem de ter em atenção o espaço que vai desde que recebe o convite até À data do evento para o qual é convidado. Agora, deve-se responder a todos os convites que se recebe e tão breve quanto possível. Claro que nesta questão, como em todas as outras relacionadas com etiqueta, o bom-senso deve imperar. Assim, ninguém lhe levará a mal se não responder se for o caso do lançamento de um livro ou a ante-estreia de um filme (não estranhe, no entanto, se a entidade promotora do evento não o voltar a convidar se não responder...), mas não responder ao convite de um jantar é impensável.