Seguidores/Followers

segunda-feira, 13 de junho de 2016

CASAMENTO: Os convidados perfeitos


No post anterior, falou-se - de forma muito genérica - o que  poderá vestir quando convidado (a) para um casamento.
Mas ser convidado para um casamento vai para além do vestir-se de forma adequada para o evento.
Seguem algumas directrizes para que seja o(a) convidado(a) perfeito(a)!
1 - Recebe o convite, normalmente 6 a 8 semanas antes do casamento. Não o esqueça em cima da mesa da cozinha. Verifique a data do casamento, consulte a sua agenda e decida se irá comparecer. Quer possa ir ou não, responda com a maior brevidade possível. os noivos precisam de saber rapidamente quantos convidados irão, na medida que a resposta de cada um dos convidados influencia a organização do evento.
2 notas importantes: 
     - Se por motivo de força maior não poder comparecer ao casamento, depois de ter confirmado a sua presença, avise de imediato os noivos.
      - Não assuma que pode levar mais uma pessoa consigo ao casamento para além das que foram convidadas quando lhe enviaram / entregaram o convite. Pode parecer-lhe óbvio, mas ficaria surpreendida(o) com o número de convidados que pensam que podem acrescentar mais 1 ou 2  pessoas às que foram formalmente convidadas. Mais uma vez, é uma questão que influencia a organização do evento.

2 - Recebe um anúncio de casamento: Se no lugar do convite receber um anúncio de casamento, não se sinta mortalmente ofendida(o); o anúncio de casamento significa que os noivos querem que tome conhecimento que vão casar; Podem ter optado por uma cerimónia intima, restrita e que não lhe foi possível convidar todos os amigos. Se não for amiga(o) chegada(o) dos noivos, ou se um dos noivos for seu colega de trabalho, não se sinta na obrigação de enviar presente de casamento. No entanto, é um gesto educado enviar uma nota pessoal, escrita à mão felicitando os noivos (deseja-se felicidade aos noivos; Parabéns, dá-se aos pais dos noivos).

3 - O Presente: Caso aceite o convite o convite para o casamento, planeie a entrega do presente que pretende oferecer. O presente de casamento deverá ser enviado / entregue ANTES do casamento; não leve o presente para o casamento. Caso opte por oferecer dinheiro, o ideal será efectuar transferência bancária para a conta dos noivos.

4 - A Cerimónia: Seja pontual. Compareça à cerimónia e não só ao copo de água. o Ideal é chegar à cerimónia 30 minutos antes da hora anunciada no convite ou até antes, se for um evento com muitos convidados (acima de 200 convidados). Se porventura quando chegar a cerimónia já tiver começado, entre no recinto de forma discreta e sente-se atrás, perto da entrada. Se quando chegar a noiva já estiver a entrar, espere que ela entre e só aí é que de forma discreta entra e senta-se.

5 - O Copo de Água: Aqui só uma pequena nota: Antes de sair, despeça-se dos pais da noiva ou do noivo (vai depender se é convidado(a) por parte da noiva ou do noivo) e dos noivos, reiterando os votos de felicidade para os noivos.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Escolha do Local de um Evento Científico

E porque alguém chegou ao meu blog através da pesquisa "protocolo em eventos científicos", segue parte de um dos capítulos do livro que estou a escrever sobre o tema. 



Gostaria somente deixar ficar uma pequena nota: A organização de um evento, quer seja ele científico (congresso, por exemplo), ou social (casamento, por exemplo), requer muito empenho, dedicação e sobretudo muita atenção aos detalhes; Quantas mais pessoas são esperadas no evento e consoante o número de dias que dura o evento, maior deverá ser a antecedência com que se começa a organizar o evento.

Alguma questão específica sobre organização de eventos (científicos ou sociais), poderão colocá-la através dos comentários. Terei todo o gosto em responder.

Vamos, então, discorrer sobre sobre a ESCOLHA DO LOCAL DE UM EVENTO CIENTÍFICO:


Assim que pensar em organizar um evento, deve começar a escolher o local.

v  Processo de selecção de escolha do local:
Ø  Calcule o custo do aluguer do espaço.
Ø  Estipule o que vai precisar no local nos dias do evento.
Ø  Faça uma lista de cerca de 10 locais possíveis.
Ø  Telefone aos respectivos locais para uma abordagem e filtragem preliminar.
Ø  Reduza a lista a 3 locais possíveis.
Ø  Visite esses locais pessoalmente.
Ø  Escolha o local.
Ø  Negoceie o preço do local, recursos humanos necessários, nº de salas e outros espaços necessários.
Ø  Confirme e celebre o contrato.
Ø  Pague o depósito / caução.
Ø  Desenhe, ou melhor ainda, peça uma planta do local.

v  Critérios fulcrais para a escolha do local:

São quatro os principais critérios para a escolha do local.

  1. Localização
  2. Custo
  3. Tamanho
  4. Infra-estruturas


1.      Localização: Comece por avaliar a mobilidade dos participantes. Os participantes virão de longe? Como virão? De avião? De carro? Caso venham de carro, tenha atenção à necessidade de existirem parques de estacionamento; uma alternativa de acessibilidade, são os transportes públicos.
Outro aspecto a ter em consideração é a proximidade do local a outras actividades. Há sempre quem goste de ir fazer compras, visitar museus ...

2.      Custo: O custo total inclui, entre outras rubricas, os custos com a estada (quartos), catering, aluguer de equipamentos, honorários. Custos com os departamentos de bombeiros e polícia, licenças várias, são geralmente custos indirectos a ter em linha de conta quando se elabora o orçamento previsional.

3.      Tamanho: Calcule o tamanho necessário das salas de conferências, foyers, e sala(s) para refeições que vai necessitar. Mentalmente, calcule as áreas que necessita para as sessões; por exemplo, se existir um programa cultural onde actores irão participar, necessitará de um palco e sala(s) que sirva(m) de camarim.
Um evento anual de sucesso, com cada vez maior número de participantes, requer que se alugue a cada ano um espaço cada vez mais amplo para que os participantes não se sintam “apertados”. Por outro lado, se escolher um espaço enorme mesmo estando o número de pessoas previsto, poderá parecer que é um evento que fracassou, na medida em que parecem estar poucas pessoas.



4               Infra-estrutura: Quando visitar os potenciais locais para o evento, tenha em consideração os seguintes   
         aspectos:
o   Acústica: carpetes e cortinas absorvem o som. Tectos altos podem ter má acústica.
o   Acesso para pessoas deficientes.
o   Saídas de emergência.
o   Regras e regulamentos: tenha presente o que o locação do espaço inclui. Perguntar se na véspera do evento é possível ir descarregar material e organizar o secretariado e os outros espaços; não subestime o que lhe parece óbvio. Quem trata do lixo? Quando? Onde? Leia cuidadosamente as regras e regulamentos fornecidos pelos respectivos espaços a serem locados, pois tais regras podem ter implicações no orçamento do evento, por isso, não assine o contrato para locação de espaços sem ter primeiro visto todas as suas implicações.
o   Confirmação: depois de ter visitado os potenciais locais e de ter falado com as pessoas responsáveis pelos respectivos espaços, pode então, tomar a decisão de qual o espaço a alugar. Faça de imediato a reserva do espaço que pretende. Envie uma carta a confirmar a locação do espaço. Peça-lhes para, depois de terem recebido a carta, para também a assinarem e lha devolverem. Esta carta deverá incluir a seguinte informação:
                                                                          i.      Data, horário e local do evento.
                                                                        ii.      Tipo e tema do evento
                                                                      iii.      Preço acordado, despesas, depósitos, políticas de cancelamento e reembolso.
                                                                      iv.      Número de quartos e respectiva gestão desse nº de quartos (caso o evento decorra no mesmo hotel onde os participantes ficarão hospedados).
Guarde uma cópia desta carta e leve-a consigo no dia do evento. Tal medida pode evitar situações desagradáveis no(s) dia(s) do evento. Lembro-me que no primeiro dia de um dos eventos que organizei, um dos representantes do local, dizia-me que teríamos de sair às 18 h 30m (quando a última sessão científica estava prevista acabar às 19 h 30m!). Fui ao meu dossier e mostrei-lhe a cópia da carta onde era dito que no primeiro dia, o período de funcionamento seria alargado até às 20 h. O impasse de imediato ficou sanado.
o   Pessoa de contacto: Cerca de um mês antes do evento, saiba quem vão ser a pessoas de contacto no local no dia(s) do evento. Isto, porque regra geral, não é a mesma pessoa com quem contactou ao longo dos meses da organização do evento.
Peça também à pessoa com quem contactou ao longo dos meses da organização do evento, se lhe pode facultar um nº de telemóvel dela para que possa ligar caso aconteça algum imprevisto.
Como pode haver mudanças nos espaços alugados desde a data do contrato até à altura do evento, cerca de um mês antes, torne a visitar o local, para se certificar que está tudo conforme o originalmente previsto.

Espero que estas "dicas" sobre a escolha do local sejam úteis para quem está a pensar em organizar um evento científico. Qualquer questão, estou ao dispor!


quarta-feira, 8 de junho de 2016

CASAMENTO: Os Convidados Perfeitos


Parte I: O que vestir? Regras Gerais

Cada vez mais descuida-se o protocolo da indumentária para assistir a um casamento. Existem, no entanto, certas normas que não podem ser ignoradas, se queremos ser os convidados perfeitos.

A regra de ouro é vestir-se de acordo com as indicações (dress code) impresso no convite. Se tal não estiver impresso no convite, os convidados devem ter em conta onde e quando se celebra a boda.

Ficam as linhas gerais para o que vestir quando convidada (o) para um casamento:

1) Senhoras:
Fonte: torontoshopoholicblog.com

      1.1. Nunca, jamais vista branco! Essa é uma prerrogativa  da noiva, a estrela do dia e não vai querer "ofuscar" a noiva...
       1.2. Mostre sempre respeito em relação às crenças religiosas: Por exemplo, se o casamento é numa  igreja católica, será de bom tom não ter os braços e ombros descobertos (poderá usar, enquanto decorre a cerimónia na igreja, um foulard de seda, por exemplo). Evitar mini -saias e  decotes profundos.
       1.3. Poderá usar preto, mas com moderação, isto é, usar em consonância com outras cores; A cor preta é aceitável em cerimónias que têm lugar ao entardecer / noite.

2) Homens: Na dúvida, os homens estarão sempre bem se optarem por fato escuro e gravata; os acessórios (botões de punho, relógio) serão os elementos de distinção.
Fonte: geralforum.com

E por ora, é só! Brevemente publicarei a parte II.



sábado, 29 de agosto de 2015

As 12 Regras de Etiqueta do FACEBOOK

Tempos modernos. Tempos de mudança rápida, constante, volátil! O convívio social nos dias de hoje, passa muito pelas redes sociais, por isso, no post de hoje irei apresentar 12 regras necessárias para utilizar o Facebook com graça e confiança: 

Fonte: https://sites.stedwards.edu/socialmedia-ahollon/


Regra nº 1 - Não coloque fotos  suas comprometedoras: Se por acaso uma foto sua comprometedora aparecer, peça a quem a postou para a remover.

Regra nº 2 - Não adicione ninguém que não conheça realmente: Numa era em que a privacidade é realmente uma preocupação, recomenda-se que tenha na sua lista de amigos, pessoas que realmente conhece.

Regra n. 3 –Não cair em tentação: Sabia que 2 em 5 empregadores utilizam as redes sociais para fazer um primeiro rastreio a potenciais candidatos e que cerca de 40% desses empregadores encontram razões para NÃO empregar determinados candidatos? Por isso, na hora de colocar algo no facebook , contenha-se e coloque o que possa efectivamente ser visto; resista à tentação de colocar no facebook  fotos do seu último fim de semana de bebedeira, por exemplo.

Regra n.º 4 – Há assuntos que devem ser tratados pessoalmente e não via facebook: Por exemplo, emprestou livros a alguém das suas relações e nunca mais devolveram? Trate dessa questão pessoalmente e não por facebook.

Regra n.º 5 – Selfies, sim, mas não em excesso:  Muitas selfies de “rajada” no facebook, só revela o tamanho da sua vaidade!

Regra n.º 6 – Discrição quando postar algo no mural de alguém: Muitos murais são públicos, por isso contenha-se para não publicar algo muito pessoal.

Regra n.º 7 – Seja consistente: Se mantiver-se leal  à sua verdadeira personalidade, é provável que as outras pessoas de interajam com as suas actualizações.

Regra n.º 8 – Não acabe um relacionamento com uma pessoa por facebook seja em que circunstância for:  Maturidade, aqui é a palavra de ordem ! Há que olhar o outro olhos nos olhos .

Regra n.º 9: Responda aos comentários e mensagens a tempo:  Não ignore as pessoas, isso é deselegante. Responda às mensagens no espaço de 24 horas.

Regra n.º 10 – Não publique muitas fotos do seu romance: Serão seguramente um casal adorável, mas não publique uma “enchente” de fotos vossas.

Regra n.º 11 – Refreie o seu ímpeto de enviar convites para jogos: Não “sufoque” os seus amigos com convites para jogos.


Regra n.º 12 (REGRA DE OURO) – Use a mesma cortesia, respeito e decoro que utiliza, no dia-a-dia, no mundo real: Quando tiver dúvidas, lembre-se que a etiqueta do mundo real deverá ser aplicada nas redes sociais.

domingo, 6 de abril de 2014

As 10 Regras do (bom) uso do telemóvel



Cada vez mais vejo que as pessoas  - quando se trata de telemóveis  e outros “gadgets”  - esquecem-se de normas simples de boa convivência. Por isso, o post de hoje, com 10 simples regras a seguir :



A Primeira Regra e a mais elementar: Não é da responsabilidade de terceiros cooperar com o uso que você dá ao seu telemóvel; é da sua responsabilidade usar o seu telemóvel de forma inofensiva.   “Inofensiva”, neste caso, não se define pela maneira que você espera que os outros tolerem, mas sim, o que os outros efectivamente consideram ofensivo. Ignore este principio e seguramente será considerado mal educado.
A Segunda Regra: Afaste-se um pouco de outras pessoas com quem esteja, quando fala ao telefone; a maioria das pessoas não estão interessadas em ouvir a sua conversa ao telemóvel
A Terceira Regra: Tente não falar ao telemóvel em espaços fechados e/ ou relativamente pequenos, mesmo que esteja um pouco afastado das outras pessoas, afinal ainda o conseguem ouvir e normalmente têm que permanecer onde estão e consequentemente serem obrigadas a ouvir a sua conversa ( e de alguma forma ficarem aborrecidas).
A Quarta Regra:  Não fale alto; Normalmente não tem de falar alto no microfone do telemóvel para ser ouvido pelo seu interlocutor. Na realidade, ao fazer isso torna mais difícil ser ouvido. Além do mais, ao falar alto ao telemóvel, irá aborrecer as pessoas à sua volta.
A Quinta Regra: Atenção a quando coloca o telefone em alta voz. Deve antes de o fazer, avisar a pessoa com quem está a falar que o irá fazer, ou, se quando atender – no carro – por exemplo – e for acompanhado, deverá avisar a pessoa que lhe ligou, que está no carro, acompanhado e que a chamada está em alta voz.
A Sexta Regra: Não fale de assuntos privados em público. Assuntos privados, são isso mesmo: Privados! Se quem lhe ligou for abordar assuntos privados, diga que ligará mais tarde, ou, se for muito urgente, tente ir para um local mais onde possa ter alguma privacidade, ou  - se tal não for possível – tente conversar através de SMS.
A Sétima Regra: Tente não efectuar outras tarefas enquanto fala ao telemóvel; evite falar ao telemóvel quando conduz, quando está às compras, no banco ou qualquer outra actividade que envolva interagir com outras pessoas. Em algumas situações coloca a sua vida e a de outros em risco e em outras situações pode aborrecer as pessoas com quem está no momento da chamada.
A Oitava Regra: Saiba onde NÃO usar o telemóvel. Alguns locais são inapropriados para usar o telemóvel, portanto evite falar ao telemóvel, ou até que ele toque, enquanto estiver nos seguintes lugares:
 - Casas de banho
 - Elevadores
 - Hospitais
 - Salas de espera
 - Auditórios
 - táxis e transportes públicos no geral
 - reuniões
 -  Bibliotecas
 - museus
 - lugares de culto (Igrejas)
 - Escola (Sala de aula)
 - Funerais
 - Casamentos
 - cinema, teatros
 - Desligue o seu telemóvel, sempre que for solicitado, como por exemplo no avião.
 - ou, na realidade, desligue o seu telemóvel em lugares onde as pessoas possam ser perturbadas pelo facto de o telemóvel estar ligado, a não ser que seja de vital importância e não possa ir para outro lado para atender.
A Nona Regra: Não use o telemóvel quando estiver a fazer uma refeição acompanhado. O ideal será desligar o telemóvel. Se porventura está à espera de uma chamada importante, diga isso mesmo à(s) pessoa(s) com quem está e que é uma chamada que precisa mesmo atender. Apesar disso, não atenda o telemóvel à mesa.  Levante-se a vá atender a chamada num lugar onde não incomode ninguém; demore o tempo equivalente que demoraria se tivesse que ir à casa de banho.  NUNCA escreva SMS quando está à mesa mesmo que a conversa com o seu(s) interlocutor(es) esmoreça; tal gesto, é tido como desrespeitador.

A Décima Regra:  lembre-se que entre uma chamada telefónica e a(s) pessoa(s) que está consigo, a chamada telefónica é o menos importante!


domingo, 2 de março de 2014

Vamos Organizar um Brunch?


O termo brunch é o resultado da junção de duas palavras inglesas: breakfast (pequeno-almoço / café da manhã) + Lunch (almoço); é uma refeição informal, ideal para fim-de-semana, ou dias de lazer, quando acordamos mais tarde.
Regra geral, o Brunch é servido na forma de Buffet, onde deverá haver diversas opções de comida doce e salgada. Nestas opções deve constar pratos quentes e frios , numa diversidade capaz de agradar a todos os convivas.

Comida a servir num Brunch:
Pelo facto de o brunch ser uma união entre pequeno-almoço/café da manhã  + almoço, deverá conter elementos dessas 2 refeições. Carnes e massas caem bem, assim como alimentos mais típicos da manhã, como pão de diversos tipos, queijos e compotas, por exemplo.
Apesar de o brunch ser predominantemente salgado, as sobremesas não poderão ser esquecidas. Frutas e doces variados deverão constar num brunch.
Para beber, pode-se servir infusões, chás, achocolatados, café,sumos naturais, cerveja, vinho, água, leite.


Decoração:
Os detalhes da decoração, fazem toda a diferença. Pode, por exemplo, colocar uma toalha branca na mesa do buffett , deixando a cor para as flores, comida e louça. Escolha louça de tons suaves e variados, como o amarelo, rosa, azul e verde. Se por uma acaso não tiver um jogo de louça em número suficiente, vale misturar serviços, desde que as cores combinem. Louças floridas e delicadas, por exemplo, criam harmonia com tons suaves e pastéis. Ouse também nos guardanapos.

Para completar o clima de festa, enfeite a mesa com flores naturais. Cuidado na escolha das flores, que devem recair naquelas que não exalem perfume muito forte. Exemplo: orquídeas ou Hortênsia.

Fonte: Charme azul



domingo, 26 de maio de 2013

Convites e Envelopes: Nada mais Fácil!

Para os que recebem convites para eventos onde constam siglas que mais lhes parece código entre detectives, aqui fica a "descodificação" dos mesmos. Nada mais fácil. Ora vejam:

1 - Convites com a sigla R.S.F.F. (Responder Se Faz Favor): Devem ser respondidos no espaço de 48 horas; mas para tudo existe uma excepção... se é uma pessoa que recebe muitos convites, não tem de responder no espaço de 48 horas; tem de ter em atenção o espaço que vai desde que recebe o convite até À data do evento para o qual é convidado. Agora, deve-se responder a todos os convites que se recebe e tão breve quanto possível. Claro que nesta questão, como em todas as outras relacionadas com etiqueta, o bom-senso deve imperar. Assim, ninguém lhe levará a mal se não responder se for o caso do lançamento de um livro ou a ante-estreia de um filme (não estranhe, no entanto, se a entidade promotora do evento não o voltar a convidar se não responder...), mas não responder ao convite de um jantar é impensável.

Nota: a sigla R.S.V.P. (Respondez S'il Vous Plait) é o equivalente à sigla R.S.F.F.; A língua francesa foi durante muito tempo  - e não há assim tanto tempo - a língua diplomata e "chique", daí ainda se utilizar a sigla francesa no lugar da sigla portuguesa.

2 - Convites com a sigla P.M. (Pro Memoria): Expressão latina que significa "para lembrar". Nos dias de hoje muitas pessoas não respondem aos convites, por isso há quem telefone a convidar e só depois de a pessoa aceitar o convite é que se envia um convite escrito, onde risca-se a sigla "R.S.F.F." (ou a sua equivalente em francês) e escreva-se por cima, à mão, a sigla P.M., que é para não esquecer de aparecer no evento.

3 - Envelope com a sigla "P.M.P." (Por Mão Própria): Significa que quem escreveu a missiva / convite, entregou a mesma.

4 - Envelope com a sigla "P.E.F." (Por Especial Favor): Significa que quem escreveu a missiva, pediu a uma terceira pessoa, por exemplo um colega seu,  lhe entregasse a mesma.

5. Envelope com a expressão "em mão": significa que não é a própria pessoa a levar o envelope; poderá ser uma empresa de estafetas, o motorista da empresa, por exemplo, a entregar o envelope.

Nota: O envelope deverá chegar ao seu destinatário sempre fechado. mas atenção a esta regra. Se alguém, seu chefe, por exemplo, lhe entrega um envelope aberto para ser entregue a alguém, significa que ele confia em si; deve retribuir esse acto de confiança e boa fé, fechando o envelope, de preferência na presença do seu chefe.

Fonte: www.docstoc.com